Dinosaur Jr. – Farm

20.07.2009 — Música, Resenhas

Dinosaur Jr.
Farm
(Jagjaguwar; 2009)

Beyond (2007), a grande volta do Dinosaur Jr., começava com J. Mascis cantando: "Come on life/ I’m almost ready/ not right/ I’m almost ready". Quase pronto? Não te faz pensar que J., quarentão, mago da guitarra (além do cabelo) e ídolo de toda uma geração não se sentisse pronto ainda? Essa declaração, ainda por cima, não soou algo da boca pra fora. Sua voz frágil e o sentimento de insegurança persistiu por todo o disco – como persiste em toda a carreira do Dinosaur – e o destacou como a continuação natural de Bug (1988), quase vinte anos depois. Insegurança essa que sempre foi a grande característica da banda. A partir dela é que surgem os solos, o peso, a distorção, enfim, toda a…segurança musical.

Tudo em torno da volta do Dinosaur Jr. com a formação original foi romântico e romantizado. Mas eles não deixaram dúvidas que estavam em plena forma. Não deixaram que falassem de outra coisa a não ser das onze incisivas canções do disco. Foi uma surpresa geral e agradabilíssima.

E foi nesse espírito de aprovação por todos os lados que J. Mascis, Lou Barlow e Murph voltaram ao estúdio para gravar seu novo álbum, Farm, lançado recentemente pela Jagjaguwar. Sem qualquer dúvida rondando a cabeça dos fãs, poderia o Dinosaur Ju. surpreender alguém? A primeira faixa a vazar, "I Want You To Know", chegou aos meus ouvidos e, surpresa, eu quase cai para trás. O que ouvi foi um J. Mascis pronto, seguro e imperativo. A distorção da guitarra aparece mais forte do que nunca, o baixo de Barlow acompanha com muito peso e reverberação e, apesar da fraca voz de J., ele manda: "Hey!/ did i let it go?/ stay with me/ tell me if it shows".

Porém, Farm não segura essa nova confiança ao longo de todo o disco. Ou seja, não surpreende mais do que o Dinosaur Jr. já fez com ou sem a formação original. "Ocean In The Way", "Plans", "Over It", "See You" e "I Don’t Wanna Go There" entram no alto escalão das belas composições do grupo, sempre alternando entre o hardcore, o metal e o rock com bastante melodia e solos e riffs impecáveis. Lou Barlow dá uma classe extra com suas duas canções. "Your Weather" e "Imagination Blind" são mais duras e dão nova vida ao disco pois nelas é perceptível uma outra dinâmica. Mascis intercala riffs nos versos como não acontece com suas próprias canções enquanto Lou segue com sua melodia mais direta e até simples.

Apesar da pouca surpresa é óbvio que Farm é um discão. J. Mascis é até hoje um músico e compositor único. De Black Flag, Sonic Youth, Nirvana, passando por Built To Spill e chegando a qualquer grupo atual que tenha uma guitarra. Ninguém arranha o papel que J. Mascis tem na música "underground". Em Farm as surpresas podem ser poucas, mas o resultado é maravilhoso. Apoteótico algumas vezes. J. Mascis e Lou Barlow foram figuras essenciais lá no final dos anos 80 e começo dos 90 e, surpresa, continuam sendo porque guitarra e composições com tamanho peso e precisão são presentes que o Dinosaur Jr. te entregam de forma única.

Denis Fujito

Nota:

Tags: