OOIOO – Armonico Hewa

28.08.2009 — Música, Resenhas

OOIOO
Armonico Hewa
(Commmons; 2009)

Seria um engano do tamanho de um elefante alguém gostar do Boredoms e deixar de lado o OOIOO. Prova disso são álbuns excelentes como Feather Float (1999), Gold & Green (2000) e Taiga (2006). Mas também vale dizer que o fator comum entre ambas as bandas é apenas a integrante Yoshimi P-We, uma vez que o sonoridade dos grupos é bem diferente.

Armonico Hewa é o sexto álbum da banda de Osaka, no Japão, e certamente um de seus melhores. Enquanto Feather Float e Gold & Green usaram o krautrock e a psicodelia a seu favor e Taiga é um disco que abusa mais dos ritmos tribais do que da melodia, Armonico Hewa parece ser exatamente uma mistura de todos esses elementos. Entre as faixas, são poucos os momentos com letra. Na maioria dos casos, o OOIOO usa a voz mais como um instrumento, emitindo sons que se misturam aos riffs de guitarra, à bateria quebrada, ao baixo e aos sintetizadores.

O que sempre me chama a atenção nos álbuns do OOIOO (e que aqui acontece novamente) é que, ao mesmo tempo em que tudo parece fruto de muitos ensaios, o som também é sempre despreocupado e solto. Também gosto de como o experimentalismo da banda é divertido e livre de qualquer tipo de amarra, característica mais presente nas bandas orientais do que nas ocidentais.

Dito tudo isso, Armonico Hewa não é um álbum fácil. Não é música pop, embora haja momentos fáceis aos ouvidos. É, entretanto, um disco extremamente recompensador em seus quase 50 minutos – não apenas para os fãs da banda, mas também para aqueles que se deixarem levar pela loucura das japonesas. Fora que “Polacca”, “Nin Na Yama” e “Honki Ponki” são algumas das grandes canções de 2009 e simplesmente não podem passar despercebidas pelo lado de cá do sociedade musical.

– Six

Nota:

Tags: