Emma Pollock – The Law of Large Numbers

03.03.2010 — Música, Resenhas

Emma Pollock
The Law of Large Numbers
(Chemikal Underground; 2010)

Após um disco solo lançado pela 4AD, Watch The Fireworks, de 2007, e um pouco mais de exposição na mídia, Emma Pollock está de volta à Chemikal Underground, gravadora que ajudou a criar junto com seus antigos companheiros de banda, os Delgados, para seu segundo álbum solo, The Law of Large Numbers.

Em casa, Emma consegue em poucos minutos se mostrar bem mais solta e livre em suas composições com faixas repletas de quebras de ritmo, instrumentação bastante variada e arranjos mais complexos, na contramão do que fez em Watch The Fireworks, disco mais pop e de fácil digestão.

Ao longo do álbum é perceptível como Emma tenta variar ao máximo suas canções. “I Could Be a Saint”, por exemplo, traz belos arranjos de glockenspiel e guitarras marcantes em uma faixa bem rock e direta; “Red Orange Green”, na sequência, começa com uma estranha introdução ao teclado e é guiada por uma melodia vocal dura; “The Loop” com seus trinta segundos iniciais levados apenas pela voz de Emma cresce com os overdubs de vocais e a percussão simples; em “Confessions” a batida é eletrônica; e “The Child In Me” é uma balada totalmente ao violão.

Porém, apesar de tudo muito bem trabalhado, são as faixas “Nine Lives” e “Chemistry Will Find Me” que realmente se destacam em The Law Of Large Numbers. A primeira parece vir com o carimbo de aprovação de Jon Brion com arranjos delicados e refrão que poderia fazer parte de qualquer canção de Fiona Apple ou Aimee Mann; enquanto a segunda, mais densa, nos relembra que o Delgados e cia sempre tiveram seu lado sombrio bem à mostra. Neste dueto com Adem, Emma mostra que pode ser tão eficiente em sua estranheza como Annie Clark, a St. Vincent.

Mas tudo isso acima é conversa mole. Na minha cabeça de memória curta o Delgados e a Chemikal Underground simplesmente não se importam. Pois se existe um grupo que conseguiu criar uma identidade forte em volta da arte de dar de ombros, esse grupo é o Delgados. “If this is what we’re calling fun/ I think I’ll use this chance to run/ Instead of making conversation/ I really do not have the patience“, canta Emma na canção mais pop do álbum, “The Child In Me”. Simples. Besta, se você preferir. Nem ligo. Emma é minha companheira de corrida.

Denis Fujito

Nota:

Tags: