jj – jj nº3

18.03.2010 — Música, Resenhas

jj
jj nº3
(Secretly Canadian; 2010)

Apesar da boa ideia e execução na versão para a parte que Lil’ Wayne canta em "My Life", do gangsta rapper The Game, e da boa melodia de "You Know", o que resta de jj n°3, novo disco da dupla sueca jj?

Se o antecessor, jj n°2 (2009), já trazia características de gosto duvidoso, como a obviedade do clima praiano em "Things Will Never Be The Same Again", batidas um tanto bregas e uma influência new age em canções bastante simples, este novo lançamento mostra o que sobra de uma banda com boas ideias em torno do mundo pop mas pouca criatividade no âmbito da música: canções irrelevantes.

Ao longo das nove faixas de jj n°3, não há uma melodia marcante, não há uma batida decente, como até houve um lampejo em "Intermezzo", do jj nº2, e diversas canções parecem fazer parte de um disco de demos das também suecas do Those Dancing Days, grupo que fez shows no Brasil ano passado, e, por minha parte, isso não é um elogio.

O disco, apesar de ter menos de meia hora de duração, se arrasta e custa a passar, escancarando toda a limitação musical da dupla. E se um dia houve algum interesse pelo mistério em torno dos membros do jj, hoje, após o lançamento de jj n°3, isso não importa mais, pois a ideia na qual gira a música da dupla só teria validade se tudo isso fosse feito por uma adolescente sueca num porão repleto de velharias de plástico e fitas k7 do meio irmão mais velho dela.

Denis Fujito

Nota:

Tags: