Meth, Ghost and Rae – Wu-Massacre

06.04.2010 — Música, Resenhas

Meth, Ghost and Rae
Wu-Massacre
(Def Jam; 2010)

Suspiros, muitos suspiros. Talvez esse tenha sido mesmo um disco apressado pela gravadora Def Jam – no sentido de ter saído antes de hora, sem ter sido finalizado da melhor forma possível. Pelo menos é o que você vai ler em um monte de resenhas por aí. E a verdade é que essa é mesmo uma das características de Wu-Massacre, o primeiro álbum sob a alcunha de Meth, Ghost and Rae.

Se você gosta de Wu-Tang Clan, deve se lembrar dos três sujeitos que dão nome ao grupo que acaba de lançar Wu-Massacre. Method Man, Ghostface Killah e Raekwon são alguns dos integrantes mais importantes do Clan – especialmente Rae e Ghost. Suas carreiras solos são extremamente bem sucedidas, com verdadeias obras-primas do hip hop. Você sabe do que estou falando: Ironman (1996) e Supreme Clientele (2000)? Only Built 4 Cuban Linx… (1995) e Only Built 4 Cuban Linx… Pt. II (2009)? Sim, senhor. Portanto a ansiedade por este lançamento era razoavelmente alta, certo? Certo.

Não consigo afirmar, entretanto, que Wu-Massacre seja uma decepção. Pois não é. Embora seja, sim, um disco muito curto. Pelo menos para um álbum de rap. Com pouco mais de meia hora, o trabalho parece incompleto e realmente soa apressado. Assim como as letras pecam por não trazer a profundidade já conhecida dos MCs: não espere as melhores rimas de Raekwon ou Ghostface, pois elas passam bem longe daqui. Dito tudo isso, Wu-Massacre também está bem distante de ser um trabalho chato ou ruim. Muito pelo contrário.

O engraçado é que as mesmas coisas que poderiam fazer deste um trabalho péssimo acabam ajudando Wu-Massacre. As qualidades do LP moram justamente no fato deste ser um disco leve, divertido, curto e pop. Não dá pra reclamar da produção, pois com samples que vão de Michael Jackson (que resultou em "Our Dreams", faixa com um beat torto, quebrado e ao mesmo tempo cantarolável) ao ídolo indiano R.D. Burman ("Meth Vs. Chef Pt. II" é uma das melhores canções) fica díficil ser ranzinza.

A resenha hoje vai ser mais ou menos curta. Assim como é Wu-Massacre. Posso terminar dizendo com sinceridade que você vai quebrar a cara se esperar um clássico do rap ou algo do tipo. Portanto, vou direto ao ponto: a melhor forma de aproveitar o álbum de Meth, Ghost and Rae é deixar de lado as comparações e expectativas e simplesmente apreciá-lo por aquilo que ele é. Enquanto música pop, Wu-Massacre funciona extremamente bem e não tenho grandes observações a fazer. E posso garantir que, se você souber ouví-lo com os ouvidos certos, pode tirar bom proveito da experiência toda.

– Six

Nota:

Tags: