Ariel Pink’s Haunted Graffiti – Before Today

21.04.2010 — Música, Resenhas

Ariel Pink's Haunted Graffiti

Before Today

(4AD; 2010)


Por não levarem totalmente a sério o pop dos anos 80 e a disco dos 70, muita gente acaba se limitando na hora de fazer música influenciada pelos estilos. É um saco perceber isso. Ouvir música com um pé atrás com receio e envolta de ironia para disfarçar as inseguranças. Como gostar de música assim? Por que fazer música assim?

Apesar dos discos do Ariel Pink serem bastante esquizofrênicos, psicodélicos e mal gravados, ele é um dos caras menos irônicos e um dos que mais passionalmente vestem a camisa dos anos 80 (e 70) em plenos 00s. Gostando ou não dele, você devia ao menos respeitá-lo. Seu novo motivo é Before Today, novo álbum que sairá pela 4AD e que surge como o mais coeso feito pelo músico e, por isso também, o mais pop e imediato.

“Hot Body Rub” abre Before Today com Ariel incorporando o saxofone e o clima obscuros do Tuxedomoon. Isso já é motivo suficiente para eu acreditar que ele não mexe com suas memórias da infância e adolescência de forma supérflua; ele revira o baú e procura sempre o melhor e o mais glamuroso da época. Parece exagero, mas o restante do lado A (sim, o disco é claramente dividido), comprova que o vivido décadas atrás ele revive com paixão redobrada. “Bright Lit Blue Skies” contrasta o refrão para cima com típicas cancões de FM influenciadas por Depeche Mode; “L’estat (Acc. to The Widow’s Maid)” relembra o Of Montreal de hoje por se apropriar tão descaradamente de David Bowie e até de Hall and Oates; “Fright Night (Nevermore)” é de deixar muitos grupos synth pop morrendo de inveja com os efeitos na voz e nos teclados usados na faixa; “Round and Round” é talvez o maior hit do grupo com o baixo cadenciando seu ritmo, com os climas diferentes a cada parada e de partes faladas e refrão apoteótico de um modo desajeitado. Uma aula de música pop.

Mas o mais importante em Before Today é o passo dado para fora do lo-fi. A produção do álbum é a mais refinada de Ariel até hoje; mas isso não quer dizer que ela seja refinada como outras. Ela não precisa ser pois o som e as gravações parecem realmente oriundas de décadas atrás. Com isso o Ariel Pink’s Haunted Graffiti não corre o risco de entrar na grande sacola lo-fi que existe hoje e ao mesmo tempo se coloca lado a lado de grupos como o já citado Of Montreal e os novos synth pop do momento, mesmo os mais eletrônicos. E vou te dizer uma coisa: Before Today chuta o traseiro de vários desses pequenos hypes simplesmente por saber realmente o que faz e de onde vem. Coisa rara se você prestar atenção.

__________

Nota
▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▒▒▒▒▒
8.5
Tags: