Entrevista: Mac DeMarco

30.10.2013 — Entrevistas, Música

mac-demarco-02O canadense Mac DeMarco é um fenômeno musical recente. E, como todo fenômeno, nos aproximamos dele com algumas dúvidas e cheios de curiosidade. Mas Mac não é só um fenômeno, Mac é um moleque e eu estava extremamente curioso, principalmente, para ver as respostas que ele tinha para algumas questões padrões sobre sua breve carreira e inesperada fama. Um cara que claramente faz tudo sozinho e se diverte um monte em cima dos palcos e na frente das câmeras e que, nessa entrevista, se diverte na linguagem, nas histórias e mesmo quando fala sério. Pelo menos é o que eu sinto.

Confira nossa breve conversa, traduzida com a ajuda do Urban Dictionary aqui e ali, e fiquemos de olho porque Mac revelou em primeira mão que acabou de finalizar seu novo disco, que sairá em abril pela Captured Tracks.

Suppaduppa: Já que não sabemos muito a seu respeito por aqui. Podemos começar com questões básicas do tipo: onde você mora e o que você faz quando não está tocando? Você pode descrever um dia normal para você?
Mac DeMarco
: Eu gosto de escrever músicas, isso é o que eu sempre quis fazer. Se não estou trabalhando por aí, eu geralmente vou dormir bem tarde, tento comer alguma coisa e toco guitarra, eu acho.

SD: Você tem feito muitos shows ultimamente. Como é, do nada, começar a fazer shows com casa cheia? Onde e como foi o primeiro show que fez?
MDM
: É muito estranho de repente ter um monte de pessoas vindo aos shows. Eu não quero dizer que estou acostumado agora, mas eu acho que me sinto mais confortável com isso.

Meu primeiro show foi em Edmonton (Canadá), onde eu cresci. Eu tinha uma banda chamada Meat Cleavers e nós tocamos numa sala de cinema que foi transformada num parque de skate. Era um negócio de brincadeira (joke band), mas eu estava tão nervoso que fiquei bêbado antes do show e tentei tocar algumas canções.

SD: Quando eu escuto às suas músicas, na minha mente eu vejo um pouco de Jonathan Richman e um pouco de Stephen Malkmus no seu (desculpa o termo) jeito desleixado de tocar. Quais são suas reais influências musicais?
MDM
: Eu amo muito o Jon e o Steve, mas eu nunca me vejo me inspirando em suas músicas. Acho que não tem nada a ver, talvez. (It’s just a flook maybe). Mas eu consigo entender porque as pessoas comparariam os nossos shows aos de Jonathan Richman. No momento, estou curtindo muito o Elton John. Eu sempre o reduzi a um tipo glammy e bizarro com canções pop e meio Disney, mas ele é realmente sensacional. Tenho escutado a muitas músicas de vídeo games que eu jogava quando era criança. Eu realmente amo a trilha sonora do Earthbound. Também tenho escutado muito ao Yellow Magic Orchestra e aos grupos de seus membros também. Haruomi Hosono e Ryuichi Sakamoto tem coisas seriamente insanas por aí.


SD: Sua família fala alguma coisa sobre toda a atenção que tem recebido ultimamente? E seus vídeos? Eles podem ser bem estranhos para avós.
MDM
: Eu acho que eles pararam de se preocupar. Eles sabem que eu sou relativamente um bom garoto, então, enquanto eu me manter longe de problemas reais, tudo bem, pelo menos para minha mãe. Ela posta tudo que ela encontra sobre mim no Facebook. Haha.

SD: Eu li que você já trabalhou no McDonald’s. Que outros trabalhos vocês já fez?
MDM
: Aqui vai uma lista dos meus empregadores, em ordem mais ou menos cronológica:

Lynwood Veterinary Hospital
McDonald’s
Decadence Vintage Clothing
Starbucks
Alguma merda de companhia de construção de estrada
Starbucks de novo
Vancouver Community Network
Britannia Elementary / Secondary School
Frog Hollow Community Center
Liberty Bakery
Millwoods Lawn and Garden
Adler Insulation
McGill Studen Classifieds (testes médicos)
Ubisoft Games
Segalls Grocery
Captured Tracks (hehe)

SD: Vamos falar sobre os seus shows. Eu assisti a um monte de vídeos de seus shows e a energia e a liberdade que você e sua banda têm são bem excitantes mesmo em vídeo. Como você descreveria uma performance ao vivo sua para quem não teve a oportunidade de ver ainda?
MDM
: A gente só está tentando se divertir. Eu nem diria que a gente está tentando impressionar alguém. Haha. Minha banda e eu somos velhos amigos, então a gente brinca muito. As canções são geralmente representadas muito bem, mas às vezes as coisas ficam um pouco fora de controle.


SD: Você acha que sua performance ao vivo tem muito mais energia que os seus discos?
MDM
: Sim, com certeza. É quase uma coisa completamente diferente. Não soamos muito como nos discos quando tocamos ao vivo.

SD: Recentemente você tocou um medley de covers na Rússia que foi amplamente compartilhado online. Parecem que são todos hits de rádio que você cresceu ouvindo. É isso mesmo? Que música você gosta de tocar na sua guitarra que você nunca tocou ao vivo?
MDM: Nunca estivemos na Rússia, mas a gente toca muito esse medley. Sempre tocamos músicas que nós achamos engraçadas, isso costuma deixar as pessoas meio putas. Eu sempre me pego tocando a música tema do Sesame Street quando estou apenas tocando (fucking around) minha guitarra.


SD: Quais são os planos para o próximo disco?
MDM
: Acabei de terminar hoje (26 de outubro). Sairá em abril.

SD: Você grava tudo sozinho?
MDM
: Sim.

SD: E como é o seu processo de composição?
MDM
: Eu escolho um instrumento para tocar, talvez coloque um drum machine para tocar no fundo, tento encontrar a vibe ou algo assim e fico tocando até alguma coisa sair. Às vezes funciona, outras vezes não.

SD: Você ama o Canadá? Eu amo e nunca estive aí.
MDM
: Yeah. O Canadá é OK. Pode ser bem entediante às vezes, mas é o meu lar.

SD: Tenho certeza que você tem uma mensagem para o Brasil. Então manda ver e diga tchau.
MDM
: As bolas dos macacos sempre estão bem inchadas antes do sol nascer. Deus te abençoe. Deus abençoe o Brasil.

Tags: