Coluna Azul: Nancy Wilson – Something Wonderful

08.05.2015 — Blog

Nancy_Wilson

Something Wonderful, da Nancy Wilson, reapareceu na minha vida em boa hora. Apesar do clima estranho das últimas semanas, instável, o frio está descendo e ficando com mais frequência. A volta para casa requer um casaco mais felpudo, passos mais tranquilos para deixar o nariz gelar e um bom par de fones de ouvidos. A cidade vai entrando para suas casas ou saindo para fumar e a voz de Nancy Wilson, sempre presente ao longo das doze faixas do disco, vai fluindo com muita naturalidade pelas ruas vazias.

Aos 23 anos de idade, Nancy estreava com o lindo Something Wonderful pela Blue Note. Poucos meses depois ela viu maior sucesso com The Swinging’s Mutual (1961), disco em colaboração com o George Shearing Quintet, e Nancy Wilson / Cannonball Adderley (1962). Mas a verdade é que nenhum outro álbum de Nancy tem tanto charme e equilíbrio entre o blues e o swing, entre a melancolia e a leveza dos bailes dos anos 50. “Guess Who I Saw Today” é a mais impactante com Nancy proclamando em cima de algumas notas de guitarra solitária e pianos aleatórios mais parecidos como corujas da madrugada. “The Great City” é perfeita para aquecer qualquer noite na cidade grande e “(They Call It) Stormy Monday”, uma ode precisa à canção famosa na voz de Lou Rawls (pelo menos para mim).

Nancy-Wilson-Something-Wonderful
Deixemos então o sol se esconder atrás dos prédios, das nuvens, do céu branco/cinza e finalmente atrás da noite, enquanto a voz romântica e suave sem um pingo de pieguice de Nancy aquece as orelhas da face gelada. No vídeo abaixo, Nancy só canta “Guess Who I Saw Today” de Something Wonderful, mas a performance é tão hipnotizante e bonita e as músicas da melhor época da cantora (1962) que o vídeo merece cada segundo de sua atenção.