Melancoluna X: Daniel Romano

10.05.2015 — Colunas

Daniel-Romano-Come-Cry-with-Me

Ao gravar um disco totalmente folk e intimista ao lado de Julie Doiron e Fred Squire em 2009, Daniel Romano deu uma reviravolta em sua carreira. Sua música, até então um indie rock comum com o Attack in Black, existente desde meados dos anos 2000, se transformou em um country bem clássico e sem a necessidade de outros adjetivos a partir de 2010, com Workin’ for the Music Man.

“Down By The Weeping Willow”, de Daniel, Fred & Julie (2009), que abre essa Melancoluna, é o folk descrito lá no começo, intimista e minimalista, triste em sua essência do início ao fim. Mas quando Daniel Romano começa a assinar sozinho suas canções, como em “She Was the World to Me”, já é possível ver que o interesse de Daniel não é exatamente pelo folk, mas pelo country e por tudo o que ele traz e representa. A sua estreia em carreira solo, em Workin’ for the Music Man (2010) é claramente country, mas com alguns resquícios do indie e de um singer/songwriter que ainda está se descobrindo.

Na terceira faixa da coluna, “Time Forgot (To Change My Heart)”, de Sleep Beneath the Willow (2011), Daniel parece brincar com “Time (The Revelator)”, de Gillian Welch. Não musicalmente, pois Daniel não entra no bluegrass perfeito de Gillian, mas na temática, na construção da canção e no tratamento com o tempo, o revelador, mas também o incapaz de mudar o seu coração. Em Come Cry With Me (2013), o estilo já está tão dentro do cantor que ele brinca com a arte do disco (acima), com o humor característico de grandes vocalistas do country (“Chicken Bill”) e deixa a sua voz forte o bastante transbordar no disco.

Uma Melancoluna para um Daniel Romano muito mais confiante de suas qualidades e esses seus três álbuns solos, representados por uma faixa de cada, mostra como o canadense se encontrou e cresceu em meio aos grandes nomes do country e à melancolia do estilo.