Frog – Kind of Blah (Audio Antihero; 2015)

16.06.2015 — Música, Resenhas

frog-kind-of-blah

Eu sempre me lembrarei do Oxford Collapse, lá em 2005/2006, e da sensação de escutar um grupo tão “obscuro” falando tão diretamente com as minhas convicções, com o meu ideal de música. Um grupo perfeito para preencher sua fita k7 imaginária, aquela banda que puxa a linha histórica de décadas e mais décadas de lindas guitarras, canções cheias de melodia e com energia e beleza em igual proporção. Rob Pollard? E desde que me conheço por gente todo ano aparece uma banda realmente capaz de mexer com os meus sentimentos com as mais cruas fórmulas, com o velho indie rock.

O Frog talvez seja essa banda e Kind of Blah talvez seja esse disco em 2015.

“All Dogs Goes to Heaven” é a faixa que abre o disco já mostrando algumas das credenciais dessa dupla de Queens, Nova York, com um clima meio apoteótico à Lift to Experience. “Fucking” por sua vez chega mais energética, com suas guitarras descompassadas, mas simpáticas ainda assim. “Wish Upon a Bar”, na sequência, forma uma trinca ideal com uma balada em ritmo Clap Your Hands Say Yeah com melodia mais estranha. Trinca ideal, explico, para introduzir o porquê desse disco e resenha existirem: “Photograph”.

“Photograph” é essa música que de cara clama para ser ouvida, mas pede em igual proporção para ser gritada a plenos pulmões com a mesma energia desleixada que a dupla põe na faixa. Seja no refrão melodioso e no falsetto forçadamente bonito ou no final falado, atropelado e emotivo da faixa, não interessa, “Photograph” parece puxar uma a uma as gavetas de sua memória só para revirar as anotações, fotos e lembranças mais pessoais de sua vida. Só para deixar tudo no chão. Te obrigando a guardar tudo, sem se importar com a sua vontade.

A primeira vez que a escutei foi num programa de rádio na internet e o negócio destoou tanto das outras músicas tocadas antes que eu só pude ficar de ouvido atento para anotar na mente o nome do grupo e da música, como se tivesse 13 anos de idade novamente e estivesse com o ouvido colado no rádio da copa de casa. Essa faixa tem a potência de mexer com qualquer adolescente e também com qualquer um que ouviu e se apaixonou pela primeira vez que escutou uma canção do Guided by Voices; com qualquer um que pela primeira vez tinha certeza que aquela música tinha sido feita para ele. Você. Mim.

Kind of Blah ainda mexerá com outras influências em faixas igualmente bonitas, como “Judy Garland” e seu indie pop à Spinto Band ou “Catchyalater”, mas o disco parece ultrapassar e relevar com carinho todo o passado, recente ou mais longínquo, no qual está remexendo para conseguir uma honesta vitória norte-americana.

catchyalater
would you like a diet coke i’m buyin
if you say you don’t I know you’re lyin
drove to the mall to see what flicks were showin
saw the exit and I just kept goin

7.5

Tags: