10 versos de Different Class, clássico do Pulp

23.10.2015 — Matérias, Música

pulp-different-class

Deve existir um limite de letras de músicas que um ser humano é capaz de memorizar ao longo de uma vida. Infelizmente, mais da metade do meu limite está sendo preenchida com músicas do Legião Urbana. Basta começar os primeiros acordes de praticamente qualquer canção, que toda a poesia de Renato Russo desce como uma avalanche para a minha boca. Porém, felizmente, uns 5% (será que o limite é tão baixo?) dessa capacidade está preenchida com os romances de Jarvis Cocker, mais precisamente com as lindas histórias de Different Class.

Histórias ou letras de música?

PLEASE DO NOT READ THE LYRICS WHILST LISTENING TO THE RECORDINGS

Essa é a recomendação que você lerá ao abrir o encarte do disco e ela é facilmente explicável, pois as 12 histórias contidas em Different Class são pequenos contos, histórias independentes da música que mostram porque Jarvis Cocker foi um dos maiores letristas da música britânica, um Morrissey dos anos 90 e um herói do britpop. O único a cantar a sexualidade de forma tão precisa, musicalmente sensual e real em um Reino Unido sempre tão reprimido. Essa é outra daquelas épocas que não vivi, logo não sei como era ser um britânico classe média no meio dos anos 90, mas sei que Different Class completa vinte anos agora no dia 30 de outubro e a atualidade musical, visual, poética e de ousadia do disco chega a ser inacreditável.

O primeiro contato que tive com o disco foi por uma fita K7 que meu irmão copiou de um CD emprestado por algum amigo seu. Por estar tudo num lado só, em 30 minutos, algumas canções tiveram que ficar de fora, como “I Spy”, a mais comprida, e “Sorted for E’s & Wizz”, além da ordem das faixas terem sido trocadas. Por isso, quando comprei o CD e o escutei na íntegra, por volta de 2003, levei um susto. Different Class tinha muito mais surpresas do que eu imaginava, ia muito além do que eu já gostava, principalmente em suas letras, que começava a entender melhor.

Cada canção começa como um bom conto costuma começar: com uma frase ou parágrafo impactante. Por isso alguns dos 10 versos selecionados abaixo são as primeiras frases proferidas por Jarvis de algumas canções (“Mis shapes” e “Live Bed Show”). A atenção é garantida logo de cara e entre gritos e sussurros, ele te entretém até um refrão completamente grudento, bonito e extasiante. Mas tem muito mais, como tem muito menos. Tem a acidez de “Common People”, a ironia de “Underwear”, o saudosismo de “Disco 2000” e a adrenalina amorosa de “F.E.E.L.I.N.G.C.A.L.L.E.D.L.O.V.E.”. Porém, me forcei a selecionar apenas dez versos para mostrar que o impacto de suas palavras e essas letras em seu habitat natural, no encarte, na tela, tem um efeito muito mais forte, como o próprio Jarvis afirmou em uma entrevista:

If you read them whilst listening to the recordings you’re extracting the lyrics from their natural habitat – when you read words from a page it’s different to listening to them as part of a song. When you’re listening to a song, the lyrics are subservient to the rhyme. Whereas if you read them off a page they have a natural rhythm.

São vinte anos, dez versos e uma matéria meio frases de auto-ajuda, mas tudo bem. Cada um desses versos esconde toda uma história e um contexto que eu apenas reforçaria: vá atrás que vale a pena. Different Class vale a pena hoje, como valeu há vinte anos e valerá por muito tempo. É só ver as apresentações e clipes abaixo, apesar de ter deixado duas faixas de lado. Só não esqueça de ler as histórias antes, ou depois, nunca durante. Um prazer por vez.

1. “Mis-shapes, mistakes, misfits.
Raised on a diet of broken biscuits, oh

2. “But I’ve kissed your mother twice,
And now I’m working on your Dad.
Oh baby

3. “‘Cause everybody hates a tourist,
Especially the one who thinks it’s all such a laugh

4. “Imagining a blue plaque
Above the place I first ever touched a girl’s chest

5. “You were the first girl at school to get breasts
And Martyn said that you were the best
Oh the boys all loved you, but I was a mess
I had to watch them trying to get you undressed

6. “She doesn’t have to go to work,
But she doesn’t want to stay in bed,
‘Cos it’s changed from something comfortable,
To something else instead

7. “When we woke up that morning we had no way of knowing,
That in a matter of hours we’d change the way we were going.
Where would I be now if we’d never met?
Would I be singing this song to someone else instead?

8. “It doesn’t make no sense no
It’s not convenient no
It doesn’t fit my plans no
But I got that taste in my mouth again oh

9. “If fashion is your trade,
Then when you’re naked,
I guess you must be unemployed yeah

10. “There’s only one place we can go.
It’s around the corner in Soho,
Where other broken people go.
Let’s go

pulp