5 músicas da semana – 28/02/2016

28.02.2016 — Blog

worlds-experienche-orchestra

1. World’s Experience Orchestra — “Nine Degrees And Cold”

O jazz espiritual sempre esteve entre os meus sub-gêneros favoritos do jazz como um todo, e essa semana ganhou um brilho especial com a descoberta do World’s Experience Orchestra, cujos discos de ’75 e ’80 serão relançados pela Now-Again num pacotão só. Ouça “Nine Degrees And Cold” e tenha a certeza de que ainda tem muito a ser explorado e encontrado quando falamos desse maravilhoso estilo sonoro. (Flávio Seixlack)

2. Menati Musafir — Menganang: A. Kadir

Como sempre, os franceses do PetPet’s TAPES nos surpreendem no Bandcamp com obscuridades do Oriente, dessa vez da Indonésia. Meio trilha de Bollywood, meio música árabe, sempre impressionante e belo. Vale a pena ouvir o disco de Menati Musafir de cabo a rabo e se deliciar com esses beats de um passado remoto, colorido e perfumado. (FS)

3. Betonkust & Palmbomem II — “24 x 33”

Dance music calma e tranquila para o fim da noite e começo do dia. Um momento que faz tempo não vejo, mas que ainda faz total sentido para mim porque apesar de acontecer em um momento específico do dia ele às vezes aprece fora de hora, fora da madrugada. É um estado de espírito que poucas vezes é bem representado. “24 x 33” repesenta bem. (Denis Fujito)

4. MC Hammer — “Too Tight”

Nunca antes lançada, “Too Tight” vem lá de 1995 direto pra 2016. A música faz parte do acordo que 2Pac fez com a Death Row para escrever músicas para seus artistas — nesse caso, para MC Hammer. Dá pra sentir, tanto na produção quanto na métrica e nas rimas, a vibe de 2Pac em todos os cantos. Ouça já e sinta aquela nostalgia dos anos dourados do hip-hop. (FS)

5. Massive Attack – “Voodoo In My Blood” (feat. Young Fathers)

Por mais que o EP Ritual Spirit, novo do Massive attack, já tenha sido lançado há mais de um mês, começaremos as 5 músicas da semana com “Voodoo In My Blood” por ter sido lançado um clipe tão maravilhoso como esse. Rosamund Pike, de Gone Girl, totalmente hipnotizada e dominada por uma esfera dourada enquanto a dupla inglesa com a participação dos também ingleses do Young Fathers fazem a esfera e, consequentemente, Rosamund mexer, tremer, cair no chão, bater na parede e o diabo numa dança maravilhosa. (DF)