5 músicas da semana – 14/08/2016

15.08.2016 — Blog

yung-bae

1. YUNG BAE — “Last Night”

Um dos meus artistas favoritos de vaporwave, YUNG BAE lançou no começo de agosto seu novo álbum, o excelente e preciso BA3. “Last Night” me faz querer dançar como há tempos não danço, descendo até o chão sem precisar abrir os olhos, sem precisar me importar com o dia de amanhã. Sinto cheiro de gin e o lençol bagunçado depois de acordar. (Flávio Seixlack)

2. Bon Iver — “22 (OVER S∞∞N) [Bob Moose Extended Cab Version]”

Sim, Bon Iver está prestes a lançar seu novo álbum, que se chamará 22, A Million, e essa semana ele liberou duas novas faixas. Não se intimide com o nome dessas canções, pois os principais elementos que fizeram de Bon Iver uma voz peculiar na música pop continuam intactos. Porém, é nas sutilezas que ele consegue se modernizar e na faixa que chamaremos por aqui de “22” o vazio, as vozes femininas distantes e o saxofone se mesclam para construir algo tão familiar e tão impalpável ao mesmo tempo. (Denis Fujito)

3. Noname — “Diddy Bop”

Como uma versão feminina de Chance The Rapper, Noname passeia por “Diddy Bop” com suavidade e finesse. A canção é simples e tem um beat quase minimalista, que acalma o corpo e a mente depois de semanas tão intensas vividas por aqui. É hora de deixar a poeira baixar. (FS)

4. Danny L Harle — “Super Natural” (feat. Carly Rae Jepsen)

O beat poperô, a voz perfeita de Carly Rae Jepsen (que fez o melhor disco de música pop do ano passado), a levada brega e os barulinhos que surgem aqui e ali fazem de “Super Natural” um dos hits dessa semana. Às vezes não é preciso se esforçar muito para que coisas lindas aconteçam. Como diz a letra. (FS)

5. Lambchop — “The Hustle”

“The Hustle” quer fechar o novo disco do Lambchop, chamado FLOTUS, como “30 Hours” “fecha” The Life of Pablo, em uma longa faixa em tom de despedida. Longa, mas eu disse que são 18 minutos? São mais de cinco minutos numa batida simples antes de Kurt aparecer com seu lindo croon e quase sete minutos pro trompete unir polos tão distantes quanto a fria batida e doce voz de Kurt. Como é bom compartilhar o mesmo mundo de Kurt Wagner. (DF)